terça-feira, 19 de maio de 2015

Exposição mostra cenas cotidianas das tribos indígenas entre 1825 e 1829

Grupos indígenas que se encontravam ausentes do panorama iconográfico
Até o dia 30 de junho, a exposição O olhar de Hercule Florence sobre os índios brasileiros estará em cartaz na Biblioteca Brasilana Guita e José Mindlin, na Cidade Universitária, da Universidade de São Paulo, a USP. Uma  ótima oportunidade para se conhecer, através de desenhos e aquarelas, cenas cotidianas das tribos indígenas que ocupavam o território brasileiro entre 1825 e 1829. Época em que o jovem Hercule Florence desembarcou no Rio de Janeiro, capital da Corte portuguesa. Com apenas 20 anos, foi pouco depois contratado como segundo-desenhista pelo médico e naturalista George von Langsdorff, o conde de Langsdorff, líder da missão científica que percorreu o interior do Brasil e que realizou, no século XIX, vasto levantamento de dados geográficos e etnográficos do país. Suas notas e desenhos são agora o fio condutor da exposição promovida pelo Instituto Hercule Florence, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura.

A exposição reúne uma seleção de desenhos e trechos do manuscrito L'Ami des arts livré à lui-meme, no qual Florence narra suas experiências da viagem. Além de fotografias e obras de outros viajantes, peças etnográficas dos grupos indígenas e informações sobre como eles estão atualmente.

Para as curadoras da exposição - Gloria Kok do Museu de Arqueologia e Etnologia da USP e Francis Melvin Lee do Insitituto Hercule Florence - o trabalho é um testemunho importante da situação dos grupos indígenas nas primeiras décadas do século XIX, configurando-se como uma fonte documental relevante. A seleção do material priorizou o olhar de Florence e suas descrições sobre a riqueza cultural dos grupos indígenas Coroado-Kaingang, Xavante Paulista (Oti e Ofayé), Kayapó do Sul-Panará, Guaikuru-Kadiwéu, Bororo, Apiaka e Munduruku.

Hercule relata o cotidiano vivido no percurso de mais de 13 mil quilômetros, a maior parte navegando pelos rios Tietê, Paraná, Paraguai, Tapajós e seus afluentes. Há também dados sobre as populações indígenas e reflexões sobre a escravidão e a ocupação territorial do Brasil. 

Quem foi Antonie Romuald Hercule Florence

Nascido em Nice, França, em 1804, Florence desde cedo exibiu talento para o desenho. Tinha uma autodisciplina que o permitiu se aprofundar em estudos de matemática, física e geografia. Ele foi também um dos pioneiros da fotografia. Na mesma época em que a arte era desenvolvida na Alemanha, França e Inglaterra, o desenhista fazia experimentos bem-sucedidos  com a câmera obscura na cidade de Campinas, em São Paulo.

Fonte: Revista Fapesp

Nenhum comentário:

Postar um comentário